BREVE HISTÓRIA DA LOJA MAÇÔNICA CAVALEIROS TEMPLÁRIOS

ORIENTE DE BELO HORIZONTE, MINAS GERAIS, BRASIL

Autor: Paulo Afonso de Oliveira- M.:I.: - Gr.: 30.

INTENÇÃO DA FUNDAÇÃO

Em 1973, na eleição para o Grão Mestrado do Grande Oriente do Brasil (GOB), quando o candidato de Minas Gerais, Athos Vieira de Andrade, foi eleito, mas não tomou posse mediante fraude grosseira de lançar débitos inexistentes em contas das lojas votantes para desclassificá-las e anular os resultados obtidos pelos votos das urnas.

O Grande Oriente de Minas Gerais (GOMG) denunciou o tratado de amizade até então mantido com o GOB. A desvinculação foi feita em todos os níveis, jurídicos, econômicos, políticos e de obediência.

O GOMG passou a não mais responder a qualquer assédio do GOB.

Para preservar a independência do GOMG, um grupo de maçons propôs a criação de uma loja maçônica com o objetivo de assegurar apoio ao grão mestrado e dar suporte à gestão da potencia.

LÍDERES DA IDEIA

A ideia foi criar uma loja maçônica para subsidiar a Administração Central do Grande Oriente de Minas Gerais(GOMG) e ao mesmo tempo ser loja de estudos e pesquisas do mundo maçônico e do mundo profano.

Com esses propósitos em mãos maçons abnegados se reuniram e propuseram a criação da loja maçônica denominada “LOJA MAÇÔNICA CAVALEIROS TEMPLÁRIOS”.

Os sonhadores tradicionalistas sugeriram que deveriam se reunir sempre de fraque e outro grupo dizia que em todas as iniciações os irmãos se apresentariam de capuz.

A proposta vencedora era para que se reunissem toda semana para discussão de temas propostos e apresentados pelos próprios irmãos membros da loja e por conferencistas convidados, maçons ou profanos.

O RITO E PROPOSIÇÃO OPERACIONAL

O rito escolhido foi o conhecido como EMULAÇÃO, também denominado no Brasil como RITO DE YORK e o nome escolhido foi de Cavaleiros Templários, em honra à Ordem dos Templários extinta por injunções políticas entre 1313 e 1317.

Os irmãos idealizadores da criação da Loja defendiam:

3.1 – Praticar maçonaria de forma proativa entre todos os maçons

3.2 – Definir a maçonaria atuante através de estudos e pesquisas de assuntos maçônicos ou não, de interesse do ser humano.

3.3 – Trabalhar como Loja de apoio à Administração do GOMG.

3.4 – Resgatar a maçonaria aos patamares sérios, após o grande trauma pela alteração dos resultados eleitorais de 1973.

3.5 – Lutar pela permanência do lema “Liberdade, Igualdade, Fraternidade” entre todos os maçons regularmente iniciados, independente do rotulo da “potencia” a que faz parte. 

3.6 – Trabalhar em prol da melhoria das condições humanas nos níveis educacionais, políticos, econômicos e sociais.

3.7 – Transformar a Loja em local de ideias e ações voltadas para os princípios maçônicos universais.

ATOS JURÍDICOS E HISTÓRICOS DA CRIAÇÃO DA LOJA

A seguir as atas do processo de criação da LOJA MAÇÔNICA CAVALEIROS TEMPLÁRIOS, contendo:

 

RELAÇÃO DE TODOS OS VENERÁVEIS DESDE O PRIMEIRO ATÉ O ATUAL

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS - JUSTIFICATIVA

ATA DE CONSTITUIÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL

RELATÓRIO DA COMISSÃO DE EXAME E APROVAÇÃO DOS ESTATUTOS SOCIAIS

 

É bom notar que não houve repetição de nenhum venerável na condução da oficina, exceto o primeiro venerável que foi a época de organização da Loja.

Com o tempo e a experiência dos irmãos foi definido o processo de eleição do Venerável e os dois Vigilantes.

Elege somente o 2º Vigilante, início da cadeia sucessória.

O 2º Vigilante cumpre mandato de 2 anos e depois passa ser 1º Vigilante e o 1º Vigilante sobe o posto de Venerável.

A adoção dessa forma tornou a Loja melhor administrada e evita o embate de disputas entre grupos de irmãos. As disputas somente ocorrem no inicio do processo, distante 6(seis) anos da cadeira de Salomão.

Atitudes desse tipo somam muito pela harmonia e proximidade entre os irmãos.

GALERIA DOS PAST MASTERS (EX-VENERÁVEIS)

 
1. Athenágoras Café Carvalhais 1977-1981
2. Ior Titon 1981-1983
3. Bráulio Sérgio Alcici 1983-1985
4. Ari de Paula Machado 1985-1987
5. José Fermin Suarez Fernandez 1987-1989
6. Jorge Lasmar 1989-1991
7. Paulo Afonso de Oliveira 1991-1993
8. João Alberto de Carvalho 1993-1995
9. Sebastião Cardoso 1995-1997
10. Aurélio Lisboa Penido

1997-1999

11. Paulo Bittencourt Siqueira

1999-2001

12. Murilo Barbosa

2001-2003

13. Antonio Ferreira Borges Neto 2003-2005
14. Elias Mansur Neto 2005-2007
15. José Flávio Fonseca 2007-2009
16. Marcelo Giordano Garios 2009-2011
17. Petrônio Rodrigues de Lima 2011-2013
18. Pedro Paulo Ferreira Lobato (Atual) 2013-2015

 

DOCUMENTOS HISTÓRICOS


Acesse através dos links

 

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS – JUSTIFICATIVA

 

ATA DE CONSTITUIÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL

 

RELATÓRIO DA COMISSÃO DE EXAME E APROVAÇÃO DOS ESTATUTOS SOCIAIS